Ser criança é ter o espírito puro e leve de quem vê beleza em cada pequena coisa da vida

Por: Cristina Vergnano

Tenho alguns sobrinhos e sobrinhas… e vários pequenos primos e primas de segundo e terceiro graus também. Com alguns consigo conviver mais. Com outros, de vez em quando. Com uns deles, ainda, só mesmo via internet ou raramente. Mas, mesmo na distância (e, agora, com a covid-19, esse distanciamento se intensificou), guardo um carinho enorme por todos e todas. São pequeninos, porém, trazem em si a sabedoria da simplicidade, da autenticidade, do carinho gratuito, da capacidade de maravilhar-se diante da vida, como a maioria da garotada.

Estive pensando no que poderia dar-lhes de presente pelo “dia da criança” que comemoramos hoje, 12 de outubro, juntamente com Nossa Senhora Aparecida… Minhas orações, sem dúvida! O desejo sincero de que cresçam no amor e construam para si uma vida e um mundo melhores, com certeza! …

Gostaria, no entanto, de outro algo, mais lúdico, que lhes divertisse e acendesse os sorrisos alegres nas suas carinhas! Na impossibilidade de estar com cada um e cada uma pessoalmente, lembrei-me de uma vocação que costuma agradar à meninada: contar-lhes histórias. Eu, pelo menos, amava, quando era pequena (e creio que ainda gosto muito)! Só que não é possível criar tão imediatamente um conto tirado assim da cartola (ou da cachola!!!). Ainda mais se quero que possua algumas características deste meio digital. Afinal, leva tempo arranjar tudo direitinho!

Decido, então, adiar o presente principal, criando certa expectativa… Estou concluindo um conto. Ele será, se tudo correr bem, publicado ainda este mês no Garotada Tec. Aguardem!!!!

Enquanto isso, seguindo um projeto que já estava acalentando na mente e no coração, posto a recriação, sob a forma de conto, do mito da Mãe-de-ouro. Vou amar se a criançada, ao ler a história, criar desenhos sobre ela e me mandar. Assim, poderei ilustrá-la aqui no blog e compartilhar com os e as desenhistas o prazer desse maravilhoso mundo dos contos e das nossas lendas.

Aproveito para deixar minha mensagem para pequenos e grandes. A vida é preciosa, mesmo quando há tantas coisas que nos parecem injustas e feias. Observar o mundo e as pessoas com o olhar da inocência infantil pode nos ajudar a enxergar a verdade e o brilho ao nosso redor. E não importa, de fato, quantos anos tenhamos: sempre há uma criança dentro de nós, brincando de ver o lado bom das coisas, a beleza e a surpresa dos pequenos gestos e acontecimentos. Feliz dia das crianças para esses pequeninos e pequeninas e para os pimpolhos que vivem teimosamente dentro de nós, gente grande!

Compartilhe!

Deixe uma resposta