O sonho autoral

Por: Cristina Vergnano

Talvez porque, durante 35 anos, estive voltada para o meu trabalho no magistério e pesquisa, não me havia dado conta da profusão de apelos e exigências do mundo da produção literária. Tivesse atuado no campo da literatura, não no da linguística aplicada, provavelmente, não ficaria tão surpresa. Tudo questão de foco. O fato é que, hoje, não apenas há muitos sites voltados para escritores, com dicas, serviços e espaço para publicar, como existem as ofertas de cursos de formação, chamadas para publicação e concursos.

Este mundo da escrita se abriu, então, diante de meus olhos de forma bastante mais ampla e surpreendente do que eu supunha quando me lancei na aventura de criar o Tecendo o verbo e postar meus textos de ficção. Por isso, decidi compartilhar com vocês, que querem trilhar tais caminhos, alguns espaços e dicas.

Os interessados podem garimpar vários livros e cursos para formação de escritores, tanto nas modalidades presenciais, como nas a distância, com ou sem atividades síncronas. São oferecidos por universidades, instituições particulares e plataformas de cursos. A maioria é paga. Há, porém, opções gratuitas. Basta ter paciência e procurar. O mesmo vale para múltiplos sites de apoio ou intercâmbio entre escritores e escritoras, como, por exemplo: The writers room , Quase ideias , Viajando entre linhas. Só para citar alguns que encontrei browseando na rede, mas dos quais não sei muito ainda, para ser sincera.

Legal, no entanto, é poder publicar, certo?! Algo que toda (ou quase toda) pessoa que escreve deseja fazer um dia. Os blogs pessoais são uma possibilidade no meio digital, bem comuns na atualidade. Há, também, plataformas que se prestam à publicação de contos, crônicas, visual novels e livros completos. Em certos casos, haverá custos; em outros, promete-se a publicação gratuita. Cabe ao autor ou à autora investigar e se decidir pela melhor opção, pela relação custo/benefício que lhe traga maiores vantagens e segurança. Usar no buscador palavras-chave, como: “escrita criativa”, “blogs de escritores”, “visual novels”, ajudam muito a encontrar tais sites.

No caso de livros físicos, existem as auto publicações, ou as tentativas junto a editoras (com compartilhamento dos gastos ou não). Tudo, claro, implica custos e uma série de passos técnicos. É preciso, no caso das editoras, pesquisar, enviar manuscritos e não desistir facilmente ante negativas. Não sou especialista no assunto e aconselho, a fim de garantir experiências positivas, procurarem cursos, editoras ou agentes que expliquem melhor a respeito.

Há um método que considero interessante e gostaria de destacar: o acesso à publicação por meio de concursos e chamadas públicas. Um dos seus diferenciais, na minha opinião, é justamente o processo seletivo. Afinal, os textos publicados passam por uma comissão, que avalia os materiais inscritos e aponta para um certo nível de qualidade a priori, segundo os padrões definidos em edital. Por isso, é sempre bom estar em dia com as novidades do meio. Sugiro (seguramente há outros) o blogConcursos literários”. A gente pode se inscrever nele e seguir suas notícias, recebendo newsletters regulares por e-mail. Não está nesse site, mas aproveito para divulgar o Prémio Internacional Pena de Ouro, em sua segunda edição, com chamada aberta até início de agosto, voltado para autores de países lusófonos (pelo nome vocês encontram o regulamento na internet).

Seja qual for caminho escolhido, o importante é seguir escrevendo e lendo, duas práticas que andam sempre de mãos dadas. Espero ter colaborado com seus projetos. Boa jornada para vocês!

Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *